voltar

Miguel Judas

Seis dicas para ir à praia de forma sustentável

3 Jul 2024 - 09:00
Com a época balnear a chegar em pleno, deixamos alguns conselhos para tornar os dias de praia mais amigos do ambiente.

Não deixar lixo na praia

Parece algo óbvio, mas infelizmente ainda se encontram muitos resíduos nas praias que não são trazidos pelo oceano mas sim deixados pelos banhistas, como beatas de cigarros ou diversos tipos de embalagens de comida e bebida. Como em qualquer outro lugar, deve-se depositar o lixo nos locais apropriados, como os ecopontos ou caixotes que também existem nas praias ou à saída destas. Caso isso não seja possível, porque se está numa praia mais selvagem ou isolada, a solução também é bastante simples: basta guardar tudo num saco e colocá-lo mais tarde num contendor.

Parece algo óbvio, mas infelizmente ainda se encontram muitos resíduos nas praias que não são trazidos pelo oceano mas sim deixados pelos banhistas.

Recolher plástico durante as caminhadas pela praia

São um clássico de qualquer ida à praia, as longas e contemplativas caminhadas à beira-mar, as quais, nos últimos anos, para muita gente, se transformaram também numa espécie de missão de limpeza, tal a quantidade de plástico que vem dar à costa. Apanhar algum plástico durante o passeio não será a solução para o problema, mas qualquer contribuição ajuda e se no regresso trouxer algum lixo, por muito pouco que seja, já terá valido a pena. Afinal, as pequenas ações tornam-se grandes quando são muitas as pessoas a praticá-las.

Nos últimos anos, as habituais longas e contemplativas caminhadas à beira-mar transformaram-se, também, para muitos, numa espécie de missão de limpeza, tal a quantidade de plástico que vem dar à costa.

Respeitar a vida marinha

Respeitar a vida selvagem é outra atitude óbvia em qualquer ecossistema, mas que em ambiente de praia nem sempre se verifica. Basta, por exemplo, lembrar a quantidade de gente com camaroeiros, a apanhar camarões ou anémonas para um balde; ou nesse outro clássico que é retirar estrelas-do-mar da água para as fotografar na mão. Mesmo que depois os exemplares sejam devolvidos ao mar, há impactos negativos que por vezes já não podem ser revertidos e até provocar a morte dos animais, como alertou o biólogo marinho americano Christopher Mah, considerado um dos maiores especialistas em estrelas-do-mar do mundo, à agência de notícias australiana ‎News.com.au. “As estrelas-do-mar precisam de incorporar água do mar no seu organismo (…) algumas espécies podem sobreviver durante algum tempo sem submersão completa, mas outras sofrem imediatamente de stress após serem retiradas do mar. A maioria consegue ficar fora de água durante talvez até cinco minutos”, esclareceu.

Mesmo que depois os exemplares manuseados sejam devolvidos ao mar, há impactos negativos que por vezes já não podem ser revertidos e até provocar a morte dos animais.

Utilizar protetores solares amigos do ambiente

É um assunto cada vez mais na ordem do dia, o da poluição causada pelos protetores solares e a ameaça que esta representa para a vida marinha, em especial para os corais, mas também para animais como as tartarugas ou diversas espécies de cetáceos. Basta verificar a composição dos protetores e não comprar aqueles que incluam Oxibenzona e Octinoxato nos seus ingredientes, que como explicou um estudo publicado na revista Nature, em 2022, “podem causar a morte a anêmonas e corais”. Ou então comprar apenas aqueles que já ostentam um selo de certificação “amigo dos corais” na embalagem.

No caso dos protetores solares, basta verificar a composição e não comprar aqueles que incluam Oxibenzona e Octinoxato nos seus ingredientes.

Não usar gel de banho ou champô nos chuveiros da praia

São muitas as praias equipadas com chuveiros de água doce, para os banhistas retirarem a areia e o sal do corpo depois de mergulharem no mar. Mas é só mesmo para isso que servem e não para tomar um verdadeiro banho, com champô e gel de banho, como se faz em casa. Isto porque na maioria das praias os chuveiros não estão ligados a qualquer sistema de esgotos e a espuma acaba por escorrer para os oceanos, poluindo-os um pouco mais.

Na maioria das praias, os chuveiros não estão ligados a qualquer sistema de esgotos e a espuma acaba por escorrer para os oceanos,pelo que não se deve usar champô ou gel de banho.

Não caminhar nas dunas

As dunas são a muralha natural que protegem as zonas costeiras da força do mar, mas são também um ecossistema único – e muito frágil – que serve de habitat a diversas espécies de fauna e flora. Deve-se portanto evitar cruzá-las, optando sempre por usar passadiços aéreos que não toquem na duna ou, quando tal não for possível, caminhar apenas pelos trilhos já naturalmente desenhados no terreno.

 

Deve-se optar sempre por usar passadiços aéreos que não toquem na duna ou, quando tal não for possível, caminhar apenas pelos trilhos já naturalmente desenhados no terreno.